::.. CARNAVAL 1998 - S.R.C.E.S. IRACEMA MEU GRANDE AMOR................................
FICHA TÉCNICA
Data:  23/02/1998
Ordem de entrada:  4
Enredo:  Tributo ao Pagode (Vira e Mexe)
Carnavalesco:  não consta
Grupo:  2
Classificação:  11º
Pontuação Total:  21,5
Nº de Componentes:  não consta
Nº de Alegorias :  ,
Nº de Alas :  não consta
Presidente:  não consta
Diretor de Carnaval:  não consta
Diretoria de Harmonia:  não consta
Mestre de Bateria:  não consta
Intérprete:  não consta
Coreógrafo da Comissão de Frente:  não consta
Rainha de Bateria:  não consta
Mestre-Sala:  não consta
Porta-bandeira:  não consta
SAMBA-DE-ENREDO

UNIDOS DE VILA MARIA
COMPOSITOR: ALCIDES PEREIRA DOS SANTOS (ZAGUE)

 

NO BAM BAM BAM DA BATERIA

RUA DO SAMBA

É CARNAVAL FOLIA

A GALERA TÁ QUE TÁ, É SÓ ALEGRIA

NA CULTURA DE UM POVO

A IRACEMA VEM SAMBAR

VALEU MÃE ÁFRICA

TODA MAGIA DESSE CANTO POPULAR

 

NO VIRA E MEXE

PRA LÁ E PRA CÁ

SWING BRASILEIRO

PAGODE ESTÁ NO AR

 

LÁ NO FUNDO DE QUINTAL

BATUQUE É PRA VALER

PELA PORTA DA COZINHA

ARRASTA O PÉ QUE EU QUERO VER

NO JOGO DA POESIA

POETA FAZ ACONTECER

É NEGRITUDE, É RAÇA NEGRA

O ROYCE E O KATINGUELÊ

 

NO MARACATU, TEM CATERETÊ

MORENA QUEBRA TUDO NESSE BALANCÊ.

 

SINOPSE DO ENREDO
O Grêmio Recreativo
Autores: Dirceu Lopes e Luiz Fernando

 

Pagode, que do outro lado do mundo, na Ásia onde japoneses, chineses e outras raças iam aos templos adorar os seus Deuses, nos pagodes os templos onde alimentava-se o espírito, por saírem alegres e aliviados, esta palavra atravessou mares e ares e das terras asiáticas transformou-se em uma grande paixão nacional, a influência mística é uma constante no Brasil e a África aparece nas coreografias, religiões, vocal. A mais antiga referência à participação de negros na criação de ritmos, logo chamado de batuque, é que os negros tinham apenas os domingos e os dias santificados para poder dançar e "folgar".

A harmonia dos instrumentos tocados pelos negros, eram buzinas, flautas e atabaques, foi com esse instrumental rudimentar que os negros, além de cultivarem nos primeiros anos da escravidão o mesmo tipo de música que haviam trazido da África, que começaram também participarem das festas públicas. A princípio, o culto da religião precisava ser disfarçado sob aparência de gratuidade dos batuques, que deram início ao ritmo do samba com seus instrumentos de percussão vieram a fazer parte direta da estrutura musical brasileira dando-lhe novas formas e características representativas de ritmos, exemplos: afro-samba, baião, bossa nova, carimbó, capoeira, cateretê, chorinho, coco, escolas de samba, maracatu, samba canção, samba de roda, samba partido alto (pagode) e samba rural. Para entendermos o "Pagode" no Brasil é necessário estabelecer as características do que se tornou verdadeiramente nacional, lembrando que a determinação das características tiveram origem na música africana (Luso-africana, Afro-asiático e Afro-americana).

As características que determinam com percussão, foi curta, respectivamente com um ritmo em geral constante. Toda essa influência trouxe-nos um legado na atualidade de muito sucesso com vários Grupos de Pagode, dando um grande passo para esta fase pagodística foram Bezerra da Silva, Capri, Almir Guineto, Zeca Pagodinho, Jovelina Pérola Negra, etc, que através da música retratavam o seu dia a dia, em forma tão popular que conseguiam criticar os fatos ocorridos dentro da própria comunidade, dando assim, um modo sutil de fazer conhecimento popular, desta forma deu início aos grupos de pagode que começara no fundo de quintal, assim começa aparecer os Grupos Fundo de Quintal, Raça, Balance (grupo em que o grande intérprete Royce do Cavaco participava), Mel na Boca, Raça Negra, Boca Nervosa (começou na rua do samba).

Nos meados de 1985, em São Paulo, na Rua do Samba, no Clube do Pagode, na Praça do Pagode, nos Festivais do Pagode, e o renomado empresário paulista Pelé Problema, que deram oportunidade ao surgimento de vários Grupos de Pagode da Periferia de São Paulo, e a grande oportunidade era dada com um dos programas de muita audiência na época "O Samba Pede Passagem", com Moisés da Rocha na FM-USP e Evaristo de Carvalho Programa Rede Nacional do Samba, daí a mídia deu mais oportunidade aos novos grupos, como: Gera Samba, Sorriso Negro, Boca Nervosa, Sensação, Negritude, Katinguele, etc..., desta forma deixamos de ser o "Túmulo do Samba", como disse o "poeta", numa homenagem feita por Lecy Brandão uma das Baluartes do Samba, reconhecendo São Paulo também como terra do samba, como bola de neve o Pagode vira moda ditada em todo o Brasil, sendo assim, o meio de divulgação dos artistas que não tinham espaço na mídia.

O samba cresceu de Norte a Sul, grupos como Companhia do Pagode e o Famoso Tcham, que na forma expressiva de pagode, resume-se em um ato artístico de: divertimento, brincadeira, zombaria, caçoadora e trovadora, reunir-se para poder pagodear, onde se canta ritmos populares, principalmente samba com instrumental de percussão, pois o Samba Não Pode Parar...

 

FANTASIAS


No h contedo para este opo.



MAIS INFORMAÇÕES SOBRE S.R.C.E.S. IRACEMA MEU GRANDE AMOR
HISTÓRIA | CARNAVAIS | HINO | CURIOSIDADES

 


:: SASP - SOCIEDADE DOS AMANTES DO SAMBA PAULISTA ::
WWW.CARNAVALPAULISTANO.COM.BR
SASP - UMA ENTIDADE COM DIFERENCIAL !!

Copyright ©2000-2016 | Todos os Direitos Reservados