::.. CARNAVAL 1998 - G.R.C.E.S. UNIDOS DE SÃO MIGUEL................................
FICHA TÉCNICA
Data:  23/02/1998
Ordem de entrada:  2
Enredo:  Pare o Mundo que Eu Quero Descer
Carnavalesco:  não consta
Grupo:  2
Classificação:  2º
Pontuação Total:  196,5
Nº de Componentes:  não consta
Nº de Alegorias :  ,
Nº de Alas :  não consta
Presidente:  não consta
Diretor de Carnaval:  não consta
Diretoria de Harmonia:  não consta
Mestre de Bateria:  não consta
Intérprete:  não consta
Coreógrafo da Comissão de Frente:  não consta
Rainha de Bateria:  não consta
Mestre-Sala:  não consta
Porta-bandeira:  não consta
SAMBA-DE-ENREDO

UNIDOS DE VILA MARIA
COMPOSITORES: JOÃO LEÃO/ NELSON DO CAVACO/ NILSON/ MAGRÃO

 

VEM SÃO MIGUEL

BALANÇA MEU AMOR, AGORA É SÉRIO

EU VOU SACUDIR, LEVANTAR POEIRA

SE LIGA EU NÃO VIM PRA BRINCADEIRA

 

PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER

SER FELIZ E TER LAZER

MAS CADÊ O MEU DINHEIRINHO

LUTANDO POR MAIOR DIGNIDADE

UM LUGAR NA SOCIEDADE

TRABALHANDO O ANO INTEIRO

ACORDA BRASIL, O POVO ESTÁ QUERENDO ESTUDAR

APRENDER O BE-A-BÁ, PRA O FUTURO MELHORAR

 

OI RODA GIRA GIROU, NESTA ROLETA ESTOU

QUERO SAÚDE, MUITA PAZ E AMOR

 

BRASIL, EU TE AMO DEMAIS

QUERO VIVER EM PAZ, SEM VIOLÊNCIA

E QUE TRISTEZA É VER A CRIANÇA NA RUA

A MISÉRIA ESTAMPADA, A VERDADE NUA E CRUA

VEM PRA LUTA SÃO MIGUEL

VER UM HORIZONTE MAIS BONITO

UM AR MAIS PURO, UM VERDE BEM MAIS RICO

CHEGA DE DEVASTAÇÃO

 

REQUEBRA MULATA, ME ENCHE DE ALEGRIA

VAI MINHA BATERIA

EU VOU PULAR, CANTAR, SAMBAR

QUANDO A SÃO MIGUEL PASSAR.

 

SINOPSE DO ENREDO
O Grêmio Recreativo
Autor: Paulão Carnavalesco

 

A maior festa urbana do Brasil, é sem dúvida o desfile das escolas de samba. É a maior não apenas pela quantidade de pessoas que fazem parte do desfile e pelo dinheiro envolvido, mas também pela união de pessoas de diferentes quadros sociais, raças e crenças, que se encontram e podem se manifestar com igualdade. Colocando para fora suas alegrias, frustrações, anseios, enfim, conseguem se libertar das pressões do dia-a-dia.

Aproveitando a oportunidade, o G.R.C.E.S. Unidos de São Miguel traz em forma de protesto estilizado este dia-a-dia só dos seus componentes, mas de todo o Brasil, ou melhor de todo o mundo.

Em forma de teatro de rua, mostraremos nossa indignação, incredulidade e revolta com a situação atual. Traremos carros, alas e destaques representando a luta pelo dinheiro e poder social, a injustiça do sistema político que só protege as classes mais altas da sociedade, as negociatas feitas pelos cartolas sem escrúpulos, a falta de voas escolas, o fracasso do sistema de saúde, a pobreza que tira a dignidade dos adultos e põem as crianças nas ruas, as drogas que corrompem nossos jovens, as agressões praticadas contra os homens, contra a fauna e flora em forma de poluição e desmatamento entre outras, e quando estivermos na avenida, daremos nosso grito de revolta.

PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER

Com isso, vamos propor que existe uma esperança. Que existe no Brasil pessoas que querem trabalhar e estudar, para fazer o nosso país mais forte na política, na cultura, no esporte, e porque não também na religião.

Ao final do nosso desfile este será o Brasil que mostraremos. Se de um lado faz parte de toda a maldade do mundo, do outro lado traz pessoas boas, dispostas a mudar esta situação, lutando para que no novo milênio não apenas o Brasil, mas o mundo seja melhor.

INTRODUÇÃO

A maior festa urbana do Brasil, é sem dúvida o desfile das Escolas de Samba, em dias de festa de momo nas principais cidades brasileiras, destacando-se São Paulo e Rio de Janeiro.

Atualmente as Escolas de Samba, estão sendo de forma progressiva, conhecidas pela população em todo o país.

Assim, nós da Unidos de São Miguel, que sempre tivemos como preocupação, seguir as tradições regulamentadas em São Paulo e Rio de Janeiro, em que temas para o Carnaval devem ter como objetivo assuntos nacionais, relatando desta forma, fatos e personagens da história.

Personagens e fatos que de alguma forma vieram dar sua contribuição para a história do mundo.

Artistas, movimentos artísticos e lendas, já tiveram a oportunidade de aparecer como tema na nossa Escola de Samba em carnavais do passado, que despertaram não só em nossas almas, mas também em nossos corações, com amor, orgulho e gratidão, em momentos de prazer e enlevo que ofereceram.

Assim na escolha do tema, o Grêmio Recreativo Cultural e Escola de Samba Unidos de São Miguel, no uso de critério próprio, com único objetivo de valorizar fatos e personagem a serem exaltados, sem esquecer a crítica inteligente, que é fundamental, levará para avenida no Carnaval de 1998 o tema: Pare o Mundo que Eu Quero Descer.

A idéia do tema surgiu de uma visão do mundo atual, onde a fome e a miséria convivem lado a lado com a riqueza e a mesa farta, onde ricos escolhem em qual de suas casas passarão a noite e crianças pobres não tem onde dormir, onde estas duas partes com realidades tão diferentes se defrontam todos os dias, porém os ricos, nos seus carros de luxo, e os pobres pedindo nos faróis da cidade. Cidade esta que pode ser qualquer uma do mundo, já que muita pobreza e alguma riqueza são problemas mundiais.

Este tema, é apenas uma idéia do que pode ser o Apocalipse, o fim do mundo, na visão do artista. Muitas pessoas acreditam na profecia do final do mundo, outras não. Mas uma coisa é certa, se o homem continuar a cultuar tantas diferenças sociais, a maltratar a natureza, a agredir seu próximo da forma que está fazendo, o mundo com certeza vai chegar a seu final, é deste mundo que eu quero descer, para quem sabe, com a ajuda de Deus encontrar uma vida melhor.

Por isso, a Unidos de São Miguel dá seu grito. Um grito que vem do fundo da alma do artista, e irrompe a avenida para mostrar em forma de fantasias, danças e música não apenas o lado ruim de nossa realidade, mas também a esperança que cada brasileiro tem de viver num mundo melhor. Pois se a realidade é triste, nós somos um povo alegre, comportados e sensuais, conformados e exigentes, realistas e sonhadores. Em geral combatemos o mal pelo outro lado, contra miséria, a opressão e o desespero, nós fazemos um esforço para viver o sonho da alegria, da liberdade, do prazer e da felicidade.

Esta é a nossa maneira de ser. Queremos não apenas a nossa própria felicidade, mas também a solução para o mundo, para as crianças do mundo todo, para a flora e a fauna, bem como para todo ser vivente.

É desta forma, através da linguagem do ritmo, da dança, do canto e da alegria que tentamos mostrar na avenida a nossa preocupação com o mundo. Esperamos conseguir "dar nosso recado".

A FINALIDADE DO TEMA

Serão fantasias lembradas de maneira difusas e logo esquecidas por todos.

Serão visões do futuro, do sofrimento do povo no dia-a-dia de todos nós.

Serão as maldades que cometeremos contra a ecologia sem nos preocuparmos com o futuro.

Serão a corrupção dos nossos líderes que não respeitam o povo e nem os animais.

A descrença dos homens poderosos, que acreditam que o Deus deles é o dinheiro que ganham facilmente.

Será a poluição do ar, que é a essência da vida de todos os homens.Será a poluição dos rios que saciam a nossa sede e irrigam o solo para que possamos plantar nossos alimentos.

Será a miséria entre os homens, a miséria do nosso dia-a-dia com personagens atuais de nossas vidas.

Será os filhos da sociedade, abandonados pelas ruas, a mercê de sua própria sorte.

Na idade antiga, Deus exterminou toda a vida sobre a Terra porque o homem havia se corrompido, a luxúria não mais tinha controle, a maldade já havia atingido até os animais. Assim ele anunciou que iria acabar com toda vida sobre a Terra. Talvez este dia torne a acontece...

1ª PARTE - O CARTOLA

Os líderes ganham poder através do voto do povo, que também atribuiu a eles vários apelidos como Cartolas, os tubarões, os magnatas, os colarinhos branco.

Não importa como são chamados, apenas sabemos que eles são responsáveis 90% do sofrimento do povo; Praticamente a corrupção, conhecidas fraudes, as sonegações. O velho crime do colarinho branco que assola o mundo inteiro.

2º PARTE - O PODER DO DINHEIRO

Hoje vivemos em uma época em que todos nós somos escravos do dinheiro, nós que somos do povo, trabalhamos por um salário de miséria que é taxado como mais baixo do mundo, mas por outro lado encontramos os que tem dinheiro como poder supremo, homem que transformou o dinheiro num Deus, e para consegui-lo é capaz de trair a sua própria nação, como causar uma guerra penas para obter o dinheiro de outros povos, e assim intitular o pode em seu ego corrupto sem importar-se, com quem ele está ferindo, se é criança ou velho, mulheres ou animais, o que importa é apenas engordar sua conta bancária.

Então perguntamos se o dinheiro é obra de Deus ou do Diabo, o que nós sabemos, é que o dinheiro e felicidade de uns, é sofrimento de outros.

3ª PARTE - O EFEITO DO SISTEMA

Todos nós vivemos sob um sistema que nos é imposto, este sistema têm seus efeitos sobre o povo, que na mais é os efeitos colaterais da corrupção, a ganância dos cartolas, que acaba causando o desemprego mergulhando a maioria do povo em miséria, fome e falta de dignidade; Sabemos que o povo sem emprego, é um povo fraco e fácil de ser manipulado.

4ª PARTE - O BE A BÁ

Seguindo os efeitos colaterais, vivemos em um mundo, onde o ensino deixou de ser importante, sendo apenas privilégio de poucos como por exemplo os filhos dos cartolas ou marajás, um filho do povo é obrigado abandonar as salas de aula, pois já não consegue aprender mais nada devido o grande desvio de verbas da educação, causando os baixos salários dos professores, que acabam perdendo o prazer de lecionar.

Ficando assim o povo com pouca instrução e um povo sem instrução é um povo que não sabe fazer política, não sabendo fazer política todos vivem a mercê dos cartolas, que apenas fazem um grande investimento, que é construir grandes presídios para prender os leigos e seus filhos que são transformados em marginais por falta de instrução.

5ª PARTE - A ROLETA NA SAÚDE

Ainda sob efeitos colaterais do sistema, vivemos sem direito a saúde, o povo hoje trabalha, rezando a Deus, para que os membros de sua família não venham ficar doente precisando do sistema de saúde que todos poderiam ter acesso, mas nem sempre é assim. A ganância dos cartolas que encontraram nos planos de saúde uma forma de ganhar muito dinheiro, lesar milhares de seres humanos.

Elevando vários profissionais que fizeram o pacto com a medicina onde eles fazem o voto de ética humanitária, onde eles juram viver a vida a salvar vidas, mas a história é outra, hoje deparamos com um grande problema, os médicos sofrendo os efeitos do sistema, são obrigados a fazer a roleta da vida, eles precisam escolher que vive ou que morre.

6ª PARTE - A VIAGEM SEM VOLTA

Lembramos que o homem sem trabalho é um homem a mercê da violência, da bebida e das drogas, explicamos quando um chefe de família fica sem trabalho, sem um ganho honroso ele pára de dar o sustento para sua família e é capaz de envolver-se em atitudes criminosas ou envergar-se a bebida alcoólica, ou talvez às drogas. Fazendo ir contra a sociedade de que tanto faz sofrer. Então surgem os grandes assaltos, grande violência, o grande índice de mortalidade, mortalidade esta que quando não causadas pelas drogas, se causam pelas armas, que vem ferindo cada vez mais a nossa sociedade, onde os cartolas acusam o povo pela violência e o povo acusa os cartolas pela falta de emprego, forçados a surgirem o caminho da violência.

7ª PARTE - O MUNDO DE MISÉRIA

Nunca em toda história do mundo, tivemos tamanha onda de miséria como estamos vivendo neste final de século. Jamais esperamos ver uma população inteira transformada em mendigos, um povo miserável, um crescimento das famílias nas ruas, homens, mulheres e crianças, vivendo de forma desumana que contribui para o aumento da violência e da criminalidade fazendo com que nos tornemos um povo fraco e sem identidade.

8ª PARTE - OS FILHOS DAS RUAS

Quem já não foi abordado nas ruas das grandes cidades por um moleque de rua, um, apenas pedindo um troço para comer? E outros já partem para o ataque à sociedade cometendo pequenos furtos e outros embarcam na viagem das drogas, então fazemos a pergunta: Por que tantas crianças abandonadas? Por que tantas crianças passando fome? E tudo nos leva a uma direção a desigualdade social. Sabemos que a sociedade que não cuida de suas crianças, no futuro só terá homens violentos e poucos profissionais para contribuir para a nação.

9ª PARTE - A REVOLTA DA NATUREZA

Ainda seguindo os efeitos dos cartolas estamos vivendo em um mundo envenenado com os mais diversos venenos criados pelo homem, como as drogas, a poluição dos rios, a poluição do ar, o ataque a fauna e a flora, a poluição do universo. Após tantos ataques, a natureza hoje tem revidado na forma com que ela sabe, forma esta que o homem batizou de fenômeno El Nino.

Fenômeno este que tem feito muito estrago no mundo e causado pânico em toda população, fazendo com que muitos tenham o mesmo pensamento, em querer com tudo.

Então, nós da Unidos de São Miguel, pedimos: - Pare o Mundo Que Eu Quero Descer!

 

FANTASIAS


No h contedo para este opo.



MAIS INFORMAÇÕES SOBRE G.R.C.E.S. UNIDOS DE SÃO MIGUEL
HISTÓRIA | CARNAVAIS | HINO | CURIOSIDADES

 


:: SASP - SOCIEDADE DOS AMANTES DO SAMBA PAULISTA ::
WWW.CARNAVALPAULISTANO.COM.BR
SASP - UMA ENTIDADE COM DIFERENCIAL !!

Copyright ©2000-2016 | Todos os Direitos Reservados