::.. CARNAVAL 1998 - G.R.C.B.C. NÃO EMPURRA QUE É PIOR................................
FICHA TÉCNICA
Data:  23/02/1998
Ordem de entrada:  4
Enredo:  Sai Prá Lá Olho Grande
Carnavalesco:  não consta
Grupo:  BLOCOS - Espera
Classificação:  8º
Pontuação Total:  108,0
Nº de Componentes:  não consta
Nº de Alegorias :  ,
Nº de Alas :  não consta
Presidente:  não consta
Diretor de Carnaval:  não consta
Diretoria de Harmonia:  não consta
Mestre de Bateria:  não consta
Intérprete:  não consta
Coreógrafo da Comissão de Frente:  não consta
Rainha de Bateria:  não consta
Mestre-Sala:  não consta
Porta-bandeira:  não consta
SAMBA-DE-ENREDO

UNIDOS DE VILA MARIA
COMPOSITOR: BIRIMBAL

 

NÃO EMPURRA QUE É PIOR

O SAI DA FRENTE DEIXA O BLOCO DESFILAR

PRA FRENTE BRASIL

SIMBORA BATERIA ANIMA A GALERA E VEM

E VEM SAMBAR QUE É CARNAVAL

 

O MAL É COISA DA CABEÇA

ARRUDA E FERRADURA VOU BUSCAR

EU MANDEI BUSCAR

ANTES QUE O MAL CRESÇA OU QUE EU ADOEÇA

POR QUEBRANTO, OLHO GORDO, MAU OLHAR

SAI PRA LÁ OLHO GRANDE, ME DEIXE EM PAZ

MINHA FIGA É VERDADEIRA, NÃO SUCUMBIREI JAMAIS

 

AS CRENÇAS FAZEM PARTE DA HISTÓRIA

E USAM COMO TEMA O MAU OLHAR

SUPERSTIÇÃO, PREMUNIÇÃO, MANDINGA, SECA PIMENTEIRA

CRENDICES DESSA GENTE DO LUGAR

EU SEI QUE RISO DE BOCA NÃO É BEM QUERER

VOVÓ DIZIA PARA EU NÃO ESQUECER.

 

SINOPSE DO ENREDO
O Grêmio Recreativo
Autora: Andréa Diniz

 

Crença milenar e universal, o mau-olhado incorporou-se à cultura brasileira onde se espalha através de numerosas crendices e práticas de sentido mágico, benéficas e maléficas. Amuletos e talismãs, figas e gnomos desmancham possíveis desastres ou oferecem esperanças aos que dessa forma preenchem suas ânsias de caráter religioso.

Olho grande, mau-olhado ou olho gordo são crendices populares atribuídas a certos indivíduos de influir sobre pessoas, animais, plantas e objetos causando-lhes perda, morte e mal-estar, que na linguagem do povo é sinônimo de maléfico magnético, por acreditar-se que alguns mortais tenham a faculdade de transmitir, através do olhar, fluídos perigosos e nocivos.

Tal poder é conhecido sob muitos nomes: fascínio, feitiço, jetatura, mal-de-olho, meu-olho, olho gordo, olho grande, olho grosso, olho-de-mata-pinto, olho ruim, olho-seca-pimenteira, olho-seca-telha, quebranto, etc...

É uma doença inexplicável que aparece de repente, entra no corpo e não se sabe como tem início nem mesmo se percebe no começo, mas quando chega ao conhecimento já é tarde. O desfalecimento, a indisposição, o emagrecimento, a moleza, e a sonolência são sinais reveladores. A depender da pessoa visada, muito quebranto é logo cortado de imediato, neste caso diz-se que a pessoa está com o corpo fechado ou curado contra o mal.

Quando se pretende tomar precauções contra o mal, deve-se por atrás da porta da frente da casa uma ferradura de sete pregos, ou dois galhos de arruda em forma de cruz e presos por uma ferradura, ou ainda, um copo virgem com água atrás da mesma porta e mudar a água de sete em sete dias, e mais, fazer uma cruz com os dedos ao cruzar com alguém capaz de tal prática.

Dizem que o mal olhado é um fenômeno não muito bem esclarecido, mas o povo já os classificam em três categorias. Primeiro o olho da inveja e cobiça, mais conhecido como o "olho-seca-telha", que põe o olhado por vontade própria, sem sentir o que está fazendo, o segundo é não olhar o Santíssimo na hora da missa. Quem assim procede tem olho mau por querer, e o último e mais inocente é o que nasce em ano bissexto, trazendo consigo uma série de fatores contrários, bota olhado nos outros, mas não pega de ninguém.

Quem possuí o mal olhado não deve se culpar, pois ele nasce com o indivíduo e está nos olhos ou no sangue e não deixa o portador ir para adiante, nem permite que os outros sigam o seu caminho.

As benzedora são geralmente os meios mais procurados pelas pessoas para se livrarem desse mal. Os benzedeiros geralmente são pessoas idosas que usam raminhos de certas ervas para esses ensalmos e pajelanças, além dessa prevenção usa-se correntes com diversos fetiches, amuletos e talismã: corninhos, meia-luas, corcunda, elefante, figa, isola, etc.

A figa é dos amuletos o mais vulgar, tem formato de mão fechada, colocado o polegar entre o indicador e o dedo médio - é uma representação do ato sexual e pode ser de várias cores: preta que livra do mau-olhado; a vermelha dá sorte, amarela boa para memória; a rosa significa recordação e a verde cor de arruda e da esperança.

O isola ou mão cornuda é uma mão fechada com os dedos indicador e mínimo estirados paralelamente, imitando os dois cornos ou chifres, imagens da força, da potência, da fecundação, da abundância e do crescimento.

O amuleto é um objeto mágico passivo, defendendo seu possuidor contra influências maléficas e o talismã é uma força ativa, suscetível de ser dirigido pelo dono e determinando uma ação direta, pondo à disposição do seu portador o serviço de entidades mágicas, ou facilitando a realização de todos os desejos.

Para muitos, essas forças do mal são explicadas pela sugestionalidade e para o comum dos homens, só podem ser causadas por espíritos maus ou são artes do diabo e seus bruxos e feiticeiros.

A partir de então muitas experiências científicas de modernos laboratórios de psicologia vêm rompendo preconceitos e tabus, chegando à conclusão de que o mau-olhado que se lança como olhar de inveja, de ódio ou de vingança nada mais é que a energia mental fluindo dos olhos do malfeitor em direção ao objeto ou pessoa que se deseja o mal.

 

FANTASIAS


No h contedo para este opo.



MAIS INFORMAÇÕES SOBRE G.R.C.B.C. NÃO EMPURRA QUE É PIOR
HISTÓRIA | CARNAVAIS | HINO | CURIOSIDADES

 


:: SASP - SOCIEDADE DOS AMANTES DO SAMBA PAULISTA ::
WWW.CARNAVALPAULISTANO.COM.BR
SASP - UMA ENTIDADE COM DIFERENCIAL !!

Copyright ©2000-2016 | Todos os Direitos Reservados